eVote – Sistema de Votação On-line

Projeto

Descrição

Os cidadãos são parte fundamental da eDemocracy, daí que seja necessário dotar a Internet de mecanismos que a tornem na sua principal ferramenta. Alguns países europeus e Estados Unidos já adoptaram a eDemocracy, para melhorar a governação política, promovendo a legitimidade dos Governos. Neste contexto, a eDemocracy não restringe o cidadão ao simples voto. De facto, a eDemocracy permite ao cidadão ter uma maior intervenção sobre a democracia, possibilitando, por exemplo dar a sua opinião sobre os gastos e eficácia dos dinheiros públicos, promover a discussão de problemas. Por outro lado, utilizando as novas tecnologias os governantes podem melhorar a sua função de representantes dos cidadãos, fazendo uma consulta on-line das suas preocupações e vontades.

A eDemocracy pode melhorar a governação política, trazendo mais desafios públicos, promovendo a participação, contribuindo para a confiança e legitimidade do governo. Além disso, promove o envolvimento da comunidade e da sociedade e aproxima cidadãos dos seus governantes.

O eVote – Sistema de Votação On-line é um projecto piloto sobre esta área, em curso desde 2001 na sua primeira versão, tendo a sua segunda versão iniciado em Setembro de 2002. O sistema eVote é um instrumento utilizado para eleições no âmbito académico. Este sistema permite que qualquer funcionário (docente ou não-docente) da Universidade do Minho possa participar com o seu voto, através da Internet.

Existem dois módulos neste sistema:
   – O módulo de votação, onde é efectuado o voto dos eleitores da universidade e disponibilizada informação detalhada sobre cada lista, e respectivos candidatos, a uma determinada eleição. No final do sufrágio é possibilitada a divulgação dos resultados, disponibilizando-se uma acta.
   – O módulo de administração, onde o administrador do sistema gere todo o processo eleitoral, desde a criação de eleições, listas, até aos eleitores.

Neste âmbito, o sistema eVote é uma ferramenta bastante útil, permitindo que o processo eleitoral ao nível académico, seja mais eficaz, reduzindo de forma significativa a burocracia subjacente, e o transtorno de deslocações aos locais de voto, para além de fornecer informação mais pormenorizada de cada lista e/ou candidatos.

Equipa de desenvolvimento

  • Leonel Duarte dos Santos

 

GÁVEA@2015. Todos os direitos reservados.